patologias das construções

Caminhos para evitar as principais patologias das construções

Atuar no ramo da construção civil é lidar, recorrentemente, com imprevistos e questões a serem solucionadas. E, os empresários e especialistas destas áreas sabem que cada serviço prestado, seja construção ou reforma, impacta a vida de muitas pessoas. Por esse motivo, é preciso falar sobre as patologias das construções. Afinal, a negligência traz riscos e custos à sua empresa.

Sendo assim, vamos aprofundar nosso conhecimento sobre o assunto e encontrar os melhores caminhos para evitar esse tipo de problema. Faça uma boa leitura!

Conceito de patologias das construções

Um bom profissional da construção civil é também um curioso por natureza que busca, tanto no presente quanto no passado, entender as questões que o cerca. É por isso que para introduzir o assunto, devemos falar sobre a origem da palavra patologia, e em seguida prosseguir com a definição.

Com origem no vocabulário grego, patologia é composta pelas expressões páthos, que quer dizer doença; e logos, referente aos estudos. Deste modo trata-se do estudo de doenças e, no caso da construção civil, são as “enfermidades” presentes nas estruturas.

Principais patologias e como evitá-las

As patologias são sinais de alerta em uma construção, e funcionam como os sintomas das doenças em nosso corpo. Por isso, da mesma forma que ocorre em nosso organismo, é sempre melhor evitar as patologias, do que tratá-las posteriormente.

Em muitos casos, estes problemas que se manifestam nas matérias-primas e nas estruturas podem aparecer acompanhada de outros desafios semelhantes ou complementares. 

Confira as principais:

Trincas e rachaduras

Neste tópico, temos dois tipos de patologias. Em geral, o problema pode começar com trincas ou fissuras e agravar-se para rachaduras. Mas, afinal, como diferenciá-las?

  • Fissuras ou trincas: caracterizadas por fraturas superficiais e lineares, com profundidade entre 0,05 mm (microfissuras), até 0,5 mm (fissuras), chegando a 1 mm em caso mais graves (trincas).
  • Rachaduras: possuem profundidade superior a 1 milímetro e são ainda mais perceptíveis, pois podem permitir a passagem de água, luz ou vento.

Para evitá-las, é preciso agir na raiz do problema desde o início da obra: conhecer as cargas da edificação, produzir e utilizar concreto uniforme de qualidade, além de buscar revestimentos que suportem a variação de temperatura.

Infiltração e umidade

Sem dúvidas, este é o combo mais conhecido de patologias de construções. E, pode-se dizer que está também entre os mais problemáticos. Afinal, a umidade ou infiltração, mesmo que pequenas, podem trazer desde danos estéticos aos estruturais.

Trata-se da presença de água, por motivos variados (chuva, rede hidráulica, vapores ou solo) em uma edificação. E a forma mais assertiva para evitá-la é a impermeabilização durante toda obra. Ou seja, do piso ao teto de uma construção.

Destacamento

Neste caso, estamos falando de um dos piores pesadelos dos engenheiros. Você já imaginou ser o profissional responsável por uma fachada revestida com peças cerâmicas e elas simplesmente descolarem? E se estivermos falando de um prédio muito alto, e alguém estiver por perto?

O destacamento é a perda de aderência da cerâmica, ladrilhos, porcelanato e outros com o material que os fazem permanecer junto ao solo ou às paredes, no caso o substrato e a argamassa.

Nesta patologia, além do problema estético, o risco iminente de um acidente é ainda pior. Portanto, é imprescindível a atenção voltada para os materiais a serem usados, bem como a forma de aplicação.

Desbotamento e manchas

O acabamento e a finalização de um projeto são as etapas que trazem brilho nos olhos aos clientes, certo? E um objetivo de empresas do ramo de construção civil após a entrega de uma obra é que esse brilho permaneça. Porém, o desbotamento e as manchas são capazes de estragar completamente uma entrega.

O desbotamento é a perda de coloração presente nas tintas ou em revestimentos, e as manchas geralmente estão ligadas à umidade. Para evitar essa dor de cabeça, a recomendação é novamente conhecer os insumos usados, para que se destinam e como aplicá-los.

O Ecogranito como solução

Fato é: as patologias das construções são sinal de prejuízo e perda de reputação. Se a sua empresa for uma reformadora, sem dúvidas você irá ganhar dinheiro com estas situações, caso o erro tenha sido cometido por outras empresas do ramo. Mesmo assim, isso pode deixar o projeto ainda mais trabalhoso. Já para as construtoras, o ideal é que seja evitado para que nada disso aconteça.

De toda forma, o melhor caminho é evitar. Afinal, as patologias trazem junto: despesas extras, atrasos no cronograma de obras, insatisfação dos clientes e outras dores de cabeça. Mas, pior que todos estes problemas, são os possíveis acidentes a serem causados por elas

Para muitos destes problemas é necessário atenção, respeito às normas, além do uso de técnicas e materiais de qualidade. E, é neste momento que o Ecogranito surge como solução, afinal, um bom revestimento impede que várias patologias ocorram.

O Ecogranito é um material que garante:

  • segurança;
  • resistência;
  • durabilidade;
  • leveza na estrutura;
  • e aplicação simplificada.

Além disso, com o Ecogranito, sua empresa realiza uma entrega moderna e sustentável, com alta produtividade, redução de custos e diminuição no tempo de obras. Garantindo que não há riscos de trincas e rachaduras, mesmo com a variação do calor, nem destacamento de placas, ou qualquer outra patologia de construções mencionadas neste artigo.

E então, qual destas patologias você considera pior? Conta pra gente nos comentários.

Aproveite também e leia agora um conteúdo completo sobre desperdícios de materiais na construção civil!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.