Erros na construção civil

Erros na Construção Civil: descubra quais são as falhas mais comuns e como evitá-las

Sabemos que erros são comuns em qualquer setor. Quando direcionamos nossa perspectiva para a Construção Civil, compreendemos que essas falhas acontecem de forma recorrente pelo tamanho da complexidade dos processos presentes em cada projeto. 

O grande problema é que alguns equívocos podem interferir de forma significativa inclusive no faturamento da empresa. Mas, a boa notícia é que muitos deles são previsíveis e, por isso, podem ser evitados. Continue a leitura deste artigo e saiba como prevenir, identificar e tratar as falhas mais comuns na Construção Civil.

1 – Ignorar o projeto e suas especificações

Qualquer edificação necessita de projetos para guiar a construção, mas muitos possuem somente o básico ou nem isso. Já outros possuem projetos completos, mas que não são executados conforme planejado. 

Isto é, ainda hoje, muitos ignoram algumas especificações do projeto e fogem do orçamento previsto e do cronograma da obra. Sendo assim, é necessário entregar a obra usando o as built. Essa é uma maneira de informar como o edifício foi realmente construído.

Contudo, devemos lembrar que os projetos são essenciais para qualquer obra, pois são eles que irão garantir a segurança, funcionalidade e durabilidade das edificações. Além disso, conte com o apoio da tecnologia, para gerenciar a construção com mais assertividade. 

2 – Utilizar a lógica do “barato que sai caro”

A escolha dos materiais é um tópico muito importante e deve ser mencionado. Isso porque, muitos profissionais optam por economizar nos materiais da fundação, instalações elétricas e hidráulicas e até mesmo de acabamento.

Mas o erro mora aí, pois comprar produtos mais baratos e de qualidade inferior para etapas tão importantes como as descritas acima pode resultar em um gasto muito maior, retrabalho, riscos à saúde dos moradores e até prejudicar a imagem da empresa.

Pense bem: ter que refazer a fachada de um empreendimento devido ao uso de um revestimento mais barato porém de qualidade inferior sairá mais caro e mais trabalhoso do que optar por um material de qualidade logo de primeira.

Dica: busque indicações de profissionais da área para identificar materiais e empresas com boa reputação no mercado.

3 – Não seguir as normas dos fabricantes

Quando falamos sobre materiais e processos, é preciso lembrar que os fabricantes lançam normas de instalação. Nesse contexto, elas devem ser seguidas para evitar patologias nas fundações, estruturas, vedações e até acabamentos. 

Por isso, conte com as normas e regras do fabricante nos projetos da obra e certifique-se de que a mão de obra as seguirá. Por falar em mão de obra, é possível errar ao contratar um time pouco qualificado. 

4 – Não investir em mão de obra qualificada

Muitas empresas optam por contratar mão de obra pouco qualificada para reduzir os custos da obra, principalmente quando saem do orçamento projetado. De primeira, pode parecer a solução de todos os problemas, mas, na indústria da construção não se deve fazer isso. 

Um corpo de mão de obra pode ser o principal responsável por falhar e atrasar a execução da obra. Por isso, é essencial contar com ótimos profissionais para que o projeto flua bem e com bom entendimento do que está sendo feito. 

Para reduzir os custos com a mão de obra, você deve optar por processos que naturalmente proporcionem essa economia. Por exemplo, utilizar revestimentos de aplicação simples e em poucas etapas, em detrimento da instalação de pedras ornamentais, é uma mudança que proporcionará a redução de custos com mão de obra e equipamentos e ao mesmo tempo estará contribuindo para a qualidade e durabilidade do empreendimento.

5 – Deixar o contrato de lado

Nas construções, a documentação atesta o que foi acordado e entendido entre todas as partes, incluindo os fornecedores e clientes. 

E mesmo assim, muitos acordos são feitos de maneira verbal, algo que facilita o fluxo de trabalho de todos, mas essa não é a maneira correta de firmar um acordo. Um contrato é importante para garantir a segurança entre todas as partes. O contrato não pode deixar de mencionar as especificações do projeto, citando os direitos e deveres de cada um. 

Além disso, o documento geralmente informa os prazos de entrega, quantidade de materiais, especificações orçamentárias, condições contratuais e outros. Sabendo disso, não é melhor colocar tudo no papel, ao invés de comunicar esses detalhes verbalmente? 

Para não cometer esse erro, documente tudo e analise com calma e atenção para ter a certeza de que está tudo certo antes do início das obras. 
E então, esse conteúdo foi útil para você? Se quer conhecer outros tópicos relacionados à construção civil, acompanhe o blog da Ecogranito e fique por dentro de tudo.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!