Entenda como o período de chuvas afeta a construção civil

Todos os setores da indústria possuem riscos e dificuldades, e com a construção civil não é diferente. Por isso, uma das principais dificuldades encontradas por arquitetos e engenheiros é o clima. O período de chuvas, por exemplo, afeta o cronograma das obras, podendo gerar prejuízos incalculáveis. 

Certamente, cria-se um planejamento capaz de prever a época de chuvas, mas com as mudanças climáticas essa previsão fica cada vez mais difícil. Inclusive, já é comum chover em épocas de seca, pois a ação do homem alterou alguns fatores naturais ao longo dos anos. E não estamos falando somente das chuvas: o superaquecimento e o excesso de umidade também prejudicam construções por toda parte.

No conteúdo a seguir será possível entender melhor o quão afetado o mercado da construção fica com as chuvas e quais são as soluções encontradas para entregar as obras nos prazos estipulados. 

Período de chuvas e a construção civil 

Como mencionado anteriormente, as chuvas e fortes tempestades afetam a construção civil de maneira negativa, e em locais propícios a inundações e enchentes a situação piora. Por isso, é necessário que a construtora analise o local antes de começar a construir. Assim, é possível escolher a melhor posição para instalar o canteiro de obras e em casos de chuvas repentinas, os trabalhadores poderão se proteger. 

Para as construções de prédios nesses locais, por exemplo, os profissionais do setor geralmente optam por executá-los sobre pilares para proteger os futuros moradores.

Além disso, outro ponto sobre as chuvas diante do planejamento da construção civil são os materiais. Isto é, nem todo material pode ser aplicado em tempos chuvosos, visto que a umidade excessiva atrapalha a cura. E há várias consequências, como:

  • a incerteza de uma construção segura enquanto está sendo executada e depois de pronta; 
  • desperdício de materiais;
  • aumento dos custos do empreendimento;
  • atrasos na entrega;
  • e outros.

Como prevenir danos e atrasos 

Antes de mais nada, deve-se evitar a construção nos períodos mais chuvosos do ano da região. Nesse contexto, é essencial prestar atenção nas variações climáticas, pois elas podem gerar uma tendência para o futuro. Para isso, pode-se fazer parcerias com empresas especializadas, pois elas serão capazes de identificar chuvas repentinas e auxiliar no planejamento e criação do cronograma da obra. 

Em seguida, é preciso levar em consideração a segurança dos operários, em caso de chuvas repentinas e umidade excessiva. Isso porque alguns materiais podem deteriorar e provocar acidentes e lesões, fatores geradores de dores de cabeça aos responsáveis pela obra. 

Outro fator que deve ser pensado é o aparecimento de mofo. O excesso de umidade nas paredes de ambientes de baixa ventilação ou com pouca luz natural pode proporcionar mofos. Outros materiais, como madeiras e gessos podem ser afetados pelo mofo. Para prevenir, é preciso prestar atenção na qualidade dos materiais e o local onde serão armazenados, antes do aparecimento do problema.

Considerações finais

Recapitulando, para que a construção seja entregue no prazo com eficiência e boa qualidade, é preciso manter uma boa produtividade, certo? E isso de faz a partir das seguintes ações:

Bom planejamento

Antes de qualquer modelo 3D da obra, as empresas devem se planejar de acordo com as condições climáticas. Nesse sentido, a construção civil ganha muitas demandas depois do período de chuvas. Como já mencionamos, empresas especializadas em estatísticas pluviométricas podem ajudar. 

Um bom planejamento contará com a adequação das horas de trabalho e as atividades do dia estabelecidas no canteiro de obras, de acordo com o clima.

Além disso, a atenção deve ser redobrada quanto falamos sobre fornecedores de materiais e maquinário, pois em situações de paralisação das atividades é preciso suspender a entrega dos materiais. Dessa forma, não ocorrerá perda de produtos e de dinheiro. 

Organização da equipe

Seguindo a linha de um bom planejamento, a organização da equipe é essencial. Por isso, deve-se compartilhar os ajustes com todos os profissionais envolvidos no projeto, como a mão de obra, arquitetos, entre outros. Essa troca de informações ajuda a priorizar certas atividades e evitar o desperdício e perda de materiais.

Além disso, equipamentos especiais são necessários na obra, pois promovem segurança extra, já que superfícies como escadas e andaimes podem ficar escorregadios, causando acidentes. Por isso, o ideal é realizar um planejamento financeiro da obra incluindo botas antiderrapantes, luvas e capas de chuva. 

Por fim, mesmo com muito planejamento, toda obra está propícia a imprevistos. E para conseguir manter um orçamento considerável para arcar com estas possíveis surpresas, leia o nosso artigo sobre custo-benefício dos materiais de construção e saiba como economizar nas suas obras sem prejudicar a qualidade, a durabilidade e a segurança das edificações.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Content is protected !!