bdi

Como calcular o BDI de uma obra?

Toda empresa, independente do porte, precisa de um profissional que tenha capacidade de efetuar o gerenciamento das finanças para conduzir a empresa de forma sustentável financeiramente. Na construção civil, os cálculos para realizar esse controle de gastos não se restringem apenas ao canteiro de obras, e sim, ao negócio em sua amplitude. Por esse motivo, existe o BDI.

Com anos de experiência, você provavelmente já ouviu falar, leu ou até mesmo utiliza esse conceito no dia a dia. Porém, é preciso entendê-lo com profundidade para garantir que está chegando ao resultado correto ou para melhorar a sua aplicação e promover retornos significativos para sua organização.

Por isso, vamos te apresentar melhor o universo do BDI e te ensinar como calculá-lo de forma assertiva em uma obra. Faça uma boa leitura!

Entendendo a definição de BDI

Do inglês Budget Difference Income, o conceito foi traduzido como Benefícios e Despesas Indiretas no Brasil, chegando à sigla BDI para facilitar os diálogos sobre o tema. A expressão pode ser entendida como um elemento do orçamento de obras da construção civil que auxilia construtoras e reformadoras a chegarem ao preço ideal e justo de um serviço considerando os gastos indiretos.

Ou seja, qualquer cobrança por prestação de serviços sempre é pensada com base nos gastos diretos. Por exemplo, no caso da construção de um edifício, os primeiros custos a serem lembrados são de materiais e mão-de-obra, correto? No entanto, existem outros fatores paralelos que demandam dinheiro da sua empresa antes, durante e após a finalização da obra.

É neste sentido que surge a necessidade de aplicação do BDI, uma vez que, se os custos indiretos não forem considerados, haverá um prejuízo significativo para a organização..

Já demos exemplos de custos diretos, afinal, são os mais fáceis de memorizar. Basta ter em mãos uma nota fiscal e esses gastos estarão lá. Agora, pense: quais são os custos indiretos? Abaixo, estão elencados os custos indiretos essenciais para chegar ao resultado correto do BDI, confira:

Administração Central

É abordada como AC na fórmula do BDI. Diz respeito aos gastos com a estrutura de sua empresa. Por exemplo, aluguel, planos de celulares, despesas de recursos humanos, entre muitas outras.

Para definir este valor, deve-se considerar o rateio dos custos de administração entre todas as obras da empresa. Quando a empresa possui um grande faturamento anual, o valor é variável entre 7 e 15%; já organizações com faturamento considerado pequeno, o valor deve ser entre 10 a 20%.

Custo Financeiro

Definido pela sigla CF dentro do cálculo, trata-se do possível rendimento do capital investido na obra, caso os valores fossem aplicados no mercado financeiro. Como referência, é possível usar o rendimento do CDB (Certificado de Depósito Bancário).

Seguros    

Fazer uma obra, muitas vezes, implica em um seguro para realizá-la já prevendo possíveis riscos ou situações em que são necessárias garantias. Neste sentido, os seguros, representados pela letra S, indicam o percentual de 0,6% sobre o total da obra a ser reservado para emergências.

Garantias

Apesar de poder ser confundido com os seguros, estamos falando sobre taxas que garantem segurança caso algo não ocorra conforme combinado entre as partes. Pode ser, portanto, taxa de caução, seguro garantia, fiança bancária, etc. Na fórmula, é representado pela letra G.

Margem de Incerteza

Quanto mais planejamento, melhor. Porém isso não impede que surjam imprevistos durante a execução de uma obra, e é por esse motivo que devemos incluir a Margem de Incerteza (MI). Neste caso, são custos que não estão cobertos por nenhum tipo de seguro.

É importante destacar que a margem de incerteza é aplicável apenas para empresas contratantes. Ou seja, empresas contratadas não devem incluir este elemento na fórmula final. Além disso, o valor aproximado deve estar entre 5 e 10%.

Tributos Municipais

Não é novidade que lidar com obras é lidar com burocracia e tributação, então por que os impostos deveriam ficar de fora dos custos indiretos? Na realidade, esquecê-los é ignorar gastos significativos, já que os tributos se apresentam de várias formas.

Para representá-los no cálculo, será usada a sigla TM. Na construção civil, eles podem ser o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza, conhecido popularmente como ISSQN. Ou ainda:

  • Tributos Estaduais (TE), por exemplo, o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); e
  • Tributos Federais (TF), como por exemplo, o Financiamento da Seguridade Social, entre outros.

Margem Bruta de Contribuição

Por fim, é preciso prever a lucratividade de qualquer projeto. Afinal, além de prestar um serviço que atenda às expectativas do seu cliente, faz parte do jogo do mercado que você ganhe um retorno financeiro por isso. É neste momento que entra a MBC no cálculo do BDI de uma obra.

Calculando o BDI de uma obra

Com os elementos apresentados no tópico anterior, está na hora de construir a fórmula que guiará o cálculo dos Benefícios e Despesas Indiretas. A partir desta estrutura, será possível ter em mãos o percentual a ser acrescentado no valor final de uma obra, junto às despesas diretas.

O cálculo do BDI não é padronizado em todo território, porém o Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos (Ibec) sugeriu a fórmula que apresentaremos em seguida com base em um consenso internacional. Confira:

BDI ={ [ ( 1+ AC + CF + S + MI ) / ( 1 – TM – TE – TF – MBC – G ) ] – 1} x 100

Como estamos falando de um resultado que será percentual, é necessário que cada uma das siglas corresponda também a um valor em porcentagem. Já para incluir o resultado dentro do orçamento proposto em uma obra, o cálculo a ser seguido é:

Preço de Venda = Custos Diretos (1 + BDI/100)

Ao calcular corretamente o BDI de uma obra, é possível ter clareza a respeito do valor do serviço oferecido. Garantindo à sua empresa, bem como ao cliente, que os preços estão de acordo com a realidade econômica da demanda.

Além de ser justo com os clientes, você garante que sua empresa está lucrando na margem correta, sem prejuízos. Afinal, caso os custos indiretos sejam negligenciados, ao final de um ano de obras, sua balança comercial final estará prejudicada.

Conclusão

Para concluir, portanto, fica nítida a relevância de se calcular o BDI de uma obra, assim como o planejamento orçamentário adequado, a gestão financeira e a segurança na prestação de serviços para resguardar todas as partes envolvidas. No universo dos números, saiba que o resultado do BDI é um aliado para você e o seu negócio.

Outro aliado muito importante para auxiliar no orçamento de obras e reformas e controle de gastos na Construção Civil é a Tabela Sinapi. Quer saber como? Confira o conteúdo do nosso blog sobre o assunto clicando aqui.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.