Contato:

+55 (31) 3342-3000 | 3223-2000

BH: +55 (31) 9.8705-9196

      

Saiba como os desperdícios nas construções impactam o seu negócio

07

jul 2020

Por:FirendsLAB
Não categorizado

Atualmente um dos maiores impactos ambientais causados pelo segmento da construção civil é o desperdício

Este fato pode até não ser uma novidade, no entanto, o que muita gente não sabe é que esse desperdício não é apenas material, mas abrange também fatores intangíveis, associados ao tempo gasto (em suas diversas formas) em tarefas que não agregam valor ao produto final, ou com retrabalho.

Garantir o controle de desperdício é, também, aumentar a produtividade da sua obra e priorizar atividades que realmente agregam valor e são relevantes para o mundo. Pensando nisso, preparamos esse artigo para explicar a importância de pensar em obras cada vez mais sustentáveis. Confira:

Um estudo que aborda o desperdício na construção civil, revela que esse é o setor onde há o maior nível de desperdício.

Além disso, apenas com o desperdício de material e mão de obra gerados em 3 obras iguais, é possível a construção de uma outra idêntica.

O estudo também revela que em países como Bélgica e França os acréscimos advindos do desperdício é de 17% e 12% enquanto no Brasil esse número chega a 30%, o que comprova a afirmação anterior. 

Todas essas perdas interferem diretamente em várias outras etapas de uma obra. Desde a elaboração do orçamento até a entrega do projeto, o desperdício interfere negativamente na qualidade do serviço prestado.

Como controlar esse desperdício e por que? Confira os exemplos de desperdícios em uma construção e entenda como priorizar atividades que realmente agregam valor à sua obra: 

Exemplos de desperdícios na construção civil 

Os desperdícios na construção civil são encontrados dentro de quatro tipos mais comuns no setor. Em cada tipo o desperdício pode acontecer de diferentes formas: 

  • Materiais;
  • Equipamentos/Máquinas;
  • Econômico;
  • Mão de obra.

É preciso reduzir os fatores que não agreguem valor para o produto final e conseguem modificar o desempenho de todas as áreas da obra, principalmente no tempo de construção. Entenda: 

1. Materiais 

Os materiais assim como aço, telhas, madeira, tijolos, cimento e areia fazem parte das perdas mais comuns em uma obra, e os mais fáceis de identificar. 

Esses resíduos devem ser controlados e, além disso, reaproveitados em outras obras. Por serem materiais comuns, a maior parte desse desperdício não chega a ser contabilizada, como se não tivessem valor. 

Porém, quando se treina profissionais atentos à essas situações, é possível desenvolver o projeto e manter a produtividade da construção

Isso inclui formas de armazenamento, distribuição e o transporte dessa matéria-prima. E com todos esses fatores, no momento final, há a reciclagem/reaproveitamento da quantidade que sobra. 

Tanto no momento de descarte quanto no orçamento, os danos do desperdício desses materiais também impactam significativamente o meio ambiente

Investir em tecnologias e buscar por melhorias constantes são os primeiros passos ideais para quem busca reduzir os custos gerados com esses desperdícios e promover um negócio que tenha responsabilidade ambiental.

2. Equipamentos/Máquinas 

Geralmente o desperdício de equipamentos e máquinas na construção civil é derivado da falta de planejamento logístico e gestão da mão de obra

Esse fator acontece principalmente quando máquinas ficam paradas ou inativas, equipamentos se quebram, ou ainda, apresentam falhas. 

Além desses fatores, desencontros de disponibilidade para o uso do maquinário, junto com a falta de orientação, aluguel indevido e disposição incorreta da frota são parte responsável do aumento dos índices de desperdício.

No transporte de materiais, por exemplo, há uma logística inadequada onde, depois que os materiais são recebidos, necessitam de deslocamento excessivo devido ao canteiro com layout deficitário, atrapalhando o desenvolvimento da obra.

Por isso, a visão estratégica do canteiro de obras deve ser uma prioridade do gestor que identifica quais são as melhores práticas na hora de obter uma eficiência de equipamentos e maquinários em todos os estágios da obra. 

Para contornar essa situação, cabe ao próprio gestor da obra o acompanhamento das ações com muita atenção, para que assim os problemas de logística e organização sejam controlados. 

3. Econômico 

Sabendo que qualquer desperdício é também um desfalque financeiro, o principal foco deve ser na gestão da obra. Quando se tem uma estratégia de gestão bem elaborada, é possível evitar ou amenizar imprevistos de maior ou menor grau. 

O cálculo sobre demandas é um método utilizado para se estabelecer o tempo gasto na realização de tarefas, mão de obra disponível e materiais que serão necessários na execução do projeto.

Ou seja, este método é um aliado no acompanhamento rigoroso da obra assim como do planejamento, a partir de cálculos precisos que revelam quais são as necessidades da construção, evitando as sobras.  

4. Mão de obra

Assim como na maioria dos tópicos anteriores, no desperdício de mão de obra é preciso otimizar o tempo. Essa otimização também só é possível com uma boa logística e gerenciamento adequado.

Um fator leva o outro, se falta material sobra tempo de mão de obra que se torna um tempo perdido. Esse tempo impacta em todo o processo produtivo da obra, principalmente nos recursos financeiros.

Devido a este fator, pensar no canteiro com máxima otimização tanto nos deslocamentos de materiais e máquinas quanto no manuseio, facilita a logística do arranjo para que o espaço de obras seja realmente funcional

Isso inclui a localização de banheiros e refeitórios, assim como a quantidade de funcionários trabalhando. Reduzir as distâncias também evita um desperdício oculto e faz com que o processo de produção seja bem mais controlado. 

Realocar os funcionários em datas e funções distribuídas em diferentes pontos também é uma opção para tornar toda obra ainda mais prática. 

A partir do treinamento desses funcionários, conscientização e reeducação, é totalmente possível contar com esses profissionais no momento de reduzir significativamente os índices de desperdício na construção civil. 

Ecogranito e o combate aos desperdícios

Com relação às sobras de materiais, o Ecogranito possui baixo índice de perda e desperdício durante a aplicação, devido a sua alta aderência e viscosidade. 

Graças a sua aplicação simplificada, a gestão da mão de obra e equipamentos se torna mais fácil, visto que, um único profissional obtém um rendimento médio de 30m2/por dia de produto aplicado e necessita apenas de uma desempenadeira e/ou espátula de aço inoxidável para a instalação do revestimento.

Além disso, por possuir um custo de aquisição mais baixo do que outros revestimentos nobres como as pedras ornamentais, o Ecogranito possibilita um espaço maior no orçamento para arcar possíveis imprevistos. 

Pensar consciente sobre o presente e no futuro da construção civil, além de necessário, é inovador. Afinal, essa necessidade é urgente: diminuir os desperdícios e consumo de matéria-prima para desenvolver construções cada vez mais sustentáveis.

O entendimento dessa realidade precisa estar cada vez mais claro na cultura da construção civil, e a Ecogranito está nessa jornada com você. 

Gostou desse conteúdo? Então assine já a nossa Newsletter e receba diversos outros materiais relacionados ao segmento construção civil direto no seu e-mail! É só clicar aqui.

Ainda não recebemos comentários. Seja o primeiro a deixar sua opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ligue Agora

+ 55 31 3342 3000 / +55 31 3223 2000

CLIQUE PARA MANDAR UMA MENSAGEM!

Quer saber mais?

Deixe seu contato que ligamos para você!
Ou se preferir, mande um email.

 

Av. Severino Ballesteros Rodrigues, 1589,
Ressaca, Contagem Minas Gerais – Brasil

+55 (31) 3342-3000 | 3223-2000

BH: +55 (31) 9.8705-9196

contato@ecogranito.com.br